terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O Observador

"O aspecto decisivo da teoria quântica é que o observador não é necessário apenas para observar as propriedades de um fenômeno atômico, mas é necessário até para causar essas propriedades." (Fritjof Capra)

"Penso que um dos aspectos fantásticos que as pessoas não percebem quando falam sobre o observador é quem ele realmente é. Talvez tenhamos nos habituado tanto com a palavra que não a compreendemos de fato. O observador é todo ser humano, não importa gênero, raça, condição social ou crença. Significa que TODO ser humano tem a habilidade de observar e de alterar a realidade subatômica. Qualquer pessoa, não somente os cientistas em seus ambientes santificados. Essa ciência pertence a todo mundo, porque ela própria é uma metáfora para explicar a NÓS, os seres humanos." (Mark Vicente)

"Quando não estão sendo observadas, as propriedades das partículas têm uma existência nebulosa, vaga, caracterizada unicamente pela probabilidade de que uma ou mais potencialidades se realizem." (Brian Greene)

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Pensar - Sentir - Atrair

Pura quântica. E Buda já sabia disto muito antes dos físicos quânticos...

"A lei da mente é implacável.
O que você pensa, você cria;
O que você sente, você atrai;
O que você acredita
Torna-se Realidade."


(Buda)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Entrevista com Amit Goswami


Ressaltamos aqui alguns trechos da entrevista publicada no jornal The Times of India:

Never impose limits on your creative goals: Dr Amit Goswami


O Dr. Amit Goswami nasceu na Índia e recebeu seu Ph.D. em física da Universidade de Calcutá (atualmente Kolkata) em 1964. Mudou-se então para os Estados Unidos e no final de 1980 desenvolveu uma interpretação idealista da mecânica quântica, inspirado em parte por idéias filosóficas extraídas do Advaita Vedanta e da filosofia platônica. Dr. Goswami escreveu outros seis livros populares com base em sua pesquisa sobre física quântica e consciência. Através de seu trabalho ele demonstrou como a ciência e a espiritualidade podem ser integrados. Ele também desenvolveu uma teoria da sobrevivência após a morte e reencarnação. Após sua aposentadoria da vida acadêmica ativa em 2003, ele assumiu o papel de "ativista quântico" para promover suas teorias e idéias de conectar a ciência com a espiritualidade. Em uma conversa por telefone, Goswami candidamente falou sobre o seu trabalho, ciência e espiritualidade e também pediu a jovens indianos para aprender a remover a negatividade. Trechos da entrevista:

Religião

Cada religião diz que alguém (Deus) criou o mundo material e eles têm debatido em torno dessa idéia, mas não explicam como isso é possível sem violar as leis científicas. Mas, graças à física quântica, temos agora uma forma científica de abordar essa idéia: Deus é o poder causal da consciência não-dual consistindo na escolha da possibilidade que se torna realidade. Uma pessoa pode meditar com um amigo e experimentadores podem demonstrar facilmente sua conexão não-local através da Consciência Única.

Não está claro que a filosofia indiana contribuiu diretamente para a minha descoberta inicial. Mas a filosofia indiana estava comigo o tempo todo no meu inconsciente, por isso, indiretamente, ela pode ter contribuído de forma significativa. Essa consciência inconsciente da filosofia indiana foi um presente do meu pai, pois ele era uma espécie de guru espiritual.
Como expliquei em meus livros, a sabedoria quântica pode ser um atalho e através dele você terá a compreensão. Isso irá substituir o caminho da sabedoria tradicional (Gyana yoga). Claro, todo mundo tem que viver com a realidade e incorporá-la (Bhakti Yoga). Como Mahatma Gandhi diz: "Minha vida é minha mensagem". Então você tem que fazer da sua vida a sua mensagem e continuar lutando em seu próprio país; a fé por si só não pode fornecer transformação.

Reencarnação

É claro que a reencarnação é um conceito misterioso, mas agora ele tem sido fortalecido muito bem com dados sólidos e uma teoria sólida da física quântica. Um pesquisador da Universidade da Virgínia, Ian Stevenson, fez uma pesquisa profunda sobre isso e eu desenvolvi uma teoria descrita no meu livro "Física da Alma".

Desta forma, as idéias quânticas nos dão uma teoria maravilhosa da reencarnação. Elas também explicam como encontrar Deus, como se tornar espiritual. As novas teorias científicas não estão nos dizendo para ir contra as religiões, pois elas estão fornecendo evidências de crenças espirituais e de orientação mais prática para a transformação espiritual.

As memórias reencarnatórias são mais disponíveis para as crianças. Mas se elas não são acionados na infância, as pessoas tendem a esquecê-las muito facilmente. No entanto, em princípio, é possível recuperá-las em qualquer idade. Eu tenho dado várias oficinas e de fato as pessoas esquecem as memórias reencarnatórias do seu aprendizado em vidas passadas. Quando eu infundo idéias como memória quântica e lembro-os sobre algumas das coisas que eles deveriam perguntar-se, eles recordam-se e tornam-se depois completamente diferentes e muito felizes com suas vidas. É uma coisa maravilhosa ver pessoas se transformando depois de encontrar a meta das suas vidas (dharma). Tudo acontece apenas ativando a imaginação infantil para recuperar propensões esquecidas.

Maya - ilusão?

A religião nunca foi definida corretamente para as pessoas comuns. Vamos tomar um exemplo simples: o Vedanta diz que o mundo é "maya". Muitos filósofos interpretam maya como ilusão, negando o mundo, e confundem as pessoas sobre o seu papel no mundo. Quase todas as religiões sublinham este conceito simplista: "Se você quer ir para o céu, não se preocupe com o mundo, o prazer da vida". Agora isso pode ser verdade para um conjunto muito pequeno de pessoas que estão prontas, que perderam todo o interesse em aspirações mundanas porque aprenderam tudo, todos os arquétipos. Mas pessoas comuns podem certamente rejeitar essa idéia, porque o mundo é importante para elas e os relacionamentos são muito importantes. A nova física diz: maya não significa ilusão e sim fenômeno secundário. O mundo é um fenômeno secundário, secundário em importância para a consciência, que é o principal, que é o objetivo final. Mas você tem que aprender o secundário antes de se aproximar do primário.

Mensagem para os jovens

Eu quero dizer o seguinte: livre-se da negatividade e sinta em seu coração que você pode mudar as coisas. Positividade é a lição da física quântica. A física quântica é a física das possibilidades. Tudo pode acontecer se envolvemos criatividade com boas e positivas emoções.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O Co-Criador Consciente

Viver o cotidiano, praticar todos os atos da vida diária plenamente consciente e imbuído do sentimento "eu co-crio a minha realidade"... isto é possível?
Sim, segundo o Dr. Joe Dispenza, D.C., que divulga sua metodologia para criar o dia:


"Ao acordar, conscientemente crio o meu dia, do jeito que desejo que seja. Dou-me um espaço e a minha mente examina as coisas que eu posso fazer até que eu chegue num ponto que me interessa, que é a intenção da criação do meu dia. Após criar o meu dia, pequenas situações inexplicáveis acontecem. Sei que são o processo e o resultado da minha criação. 
E, quanto mais faço isso, mais uma rede neural vai se construindo, fazendo-me aceitar que é possível. Dando-me o poder e o suporte que me incentiva a repetir tudo no dia seguinte.
(Torna-se então um padrão. Deste modo nos abrimos à possibilidade suprema de decifrarmos as diferenças criadas nos nossos dias).
Estou consciente de que a todo instante eu estou desenhando o meu destino.
Do ponto de vista espiritual, estou conscientemente aceitando as idéias de que os nossos pensamentos afetam a nossa realidade e assim a nossa vida. Porque a realidade é igual à vida. A vida que criamos.
Estou tirando esse tempo para criar o meu dia, portanto afeto o campo quântico das múltiplas possibilidades de modo consciente.
Então faço um pacto quando crio o meu dia:
Se existem de fato observadores, como eu mesmo o sou, e se estão me acompanhando todo o tempo da minha criação; se existe um aspecto espiritual em mim, então me mostrem um sinal de que eu criei e façam com que aconteçam situações do jeito que espero, e que eu possa me surpreender com a minha habilidade de sentir essas coisas e que eu não tenha dúvidas que isso vem de vocês."
(O Dr. Joe Dispenza estudou bioquímica na Universidade Rutgers, em Nova Jersey. Recebeu o grau de doutor em quiroprática na Life University de Atlanta (Geórgia). Fez pós-graduação e educação continuada nas áreas de neurologia, neurofisiologia e funcionamento cerebral. Recebeu uma condecoração pela excelência clínica no relacionamento médico-paciente, e o título de membro da International Chiropractic Honor Society. É aluno da Ramtha's School of Enlightenment, uma escola contemporânea de sabedoria milenar localizada nos EUA, onde aprendeu a criar seu dia e teve a experiência pessoal de como o cérebro, a consciência e a intenção trabalham juntos na criação da realidade em suas diversas formas, seja um dia, um acontecimento, um objeto ou o futuro).

O Universo e o Observador

No começo havia apenas probabilidades.
O Universo só pôde existir
a partir da observação de alguém.
Não importa se o observador só apareceu
bilhões de anos depois.
O Universo existe porque temos consciência dele.

(Martin Rees, Cosmólogo inglês)

domingo, 18 de novembro de 2012

terça-feira, 13 de novembro de 2012

A Misteriosa Tela Quântica

Assim como o universo muda constantemente do implicado para o explicado, o fluxo do não-visto para o visto é o que constrói a dinâmica da criação. É essa natureza constantemente mutável da criação que John Wheeler tinha em mente quando descreveu o universo como "participativo" - isto é, inacabado e continuamente respondendo à consciência.
É interessante observar que é esse, precisamente, o modo pelo qual o mundo funciona, de acordo com a sabedoria das tradições antigas. Desde os antigos escritos védicos indianos, que alguns estudiosos acreditam datar de 5.000 anos A.C., aos Manuscritos do Mar Morto, de 2.000 anos de idade, as idéias convergem para a sugestão de que o mundo não passa de um espelho de coisas que acontecem em outro domínio mais elevado, ou em uma realidade mais profunda. Por exemplo, ao tecer considerações sobre novas traduções de fragmentos dos Manuscritos do Mar Morto, conhecidos como Canções do Sacrifício de Sábado, seus tradutores assim resumem o conteúdo: "O que acontece na Terra não é mais do que um pálido reflexo de uma realidade mais ampla e definitiva".
Tanto a teoria quântica como os textos antigos nos levam a concluir que nos mundos invisíveis criamos o projeto dos relacionamentos, carreiras, êxitos e fracassos do mundo visível. A partir dessa perspectiva, a Matriz Divina funciona como o grande cenário cósmico que nos permite perceber a energia não-física de nossas emoções e crenças (nossa raiva, ódio e fúria, bem como nosso amor, misericórdia e compreensão) projetadas no meio físico da vida.
Assim como uma tela de cinema mostra sem avaliar qualquer imagem que tenha sido filmada, a Matriz aparentemente nos fornece uma superfície não-tendenciosa para nossas experiências e crenças interiores, a serem vistas no mundo. Algumas vezes conscientemente, mas muitas vezes sem perceber, "mostramos" nossas crenças mais verdadeiras acerca de qualquer assunto por meio dos nossos relacionamentos, desde a compaixão até a trição.
Em outras palavras, smos como artistas que expressam suas paixões, medos, sonhos e desejos mais profundos por meio da essência viva de uma misteriosa tela quântica. Entretanto, contrariamente a uma tela convencional de pintura que existe apenas em um lugar em um dado momento, nossa tela é feita da mesma coisa que constitui todas as coisas - está em toda parte e sempre se encontra presente.

(A Matriz Divina, Gregg Braden)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Da Morte à Imortalidade

"As pessoas costumam questionar o sentido da vida, especialmente o sentido de suas próprias vidas No esquema reencarnatório, começamos a ter um vislumbre das respostas às indagações sobre o sentido. Essas questões dizem respeito a nós mesmos, à nossa natureza pessoal e, de modo geral, à natureza de nossa consciência. Primeiro, exploramos tais questões no cenário exterior; isso constitui nossa fase materialista. Após muitas encarnações, quando as respostas não saem dessa maneira, voltamo-nos para dentro. No começo, a jornada interior se dá de maneira hesitante, sendo muito influenciada pelos padrões e hábitos adquiridos na jornada exterior. Gradualmente, porém, a compreensão começa a despontar. Então, subitamente, a compreensão final: não temos mais dúvidas, estamos libertados. Agora, estamos fora do ciclo nascimento-morte-renascimento; somos imortais. Se a compreensão final acontece durante a vida, após morrermos, nessa vez, não voltaremos mais. Se a compreensão ocorrer no momento da morte, também não voltaremos; será nossa morte final.
Em um dos Upanishads da Índia, há um hino:

'Leve-me do irreal ao real
Leve-me das trevas à luz
Leve-me da morte à imortalidade'."

(A Física da Alma, Amit Goswami)

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Não há Realidade Objetiva

Recebi esta mensagem que reproduzo abaixo, por sua importância. Como se percebe do conteúdo, a física quântica e os ensinamentos ancestrais se entrelaçam.

Quando vocês começarem a perceber que seu mundo está sujeito aos seus pensamentos e não o inverso, vocês simplesmente entenderão o quanto vocês pertencem a ele.

Vocês não estão fora deste mundo. Vocês não são observadores independentes. Não existe essa coisa de realidade objetiva porque não existem observadores objetivos.

Vocês estão no mix e vibram constantemente. E cada vibração sua altera a forma da experiência da vida física que está se formando ao seu redor.

Este universo físico depende de vocês estarem nele para observá-lo. Vocês dão forma a ele.

Vocês fornecem à matriz a energia da fonte que a forma. Vocês são a grade. Vocês são muito mais do que vocês pensam que são.

"Bem, então, Twelve," vocês podem perguntar, "se eu estou no comando, como tudo saiu tanto do controle?".

E nós dizemos que é simplesmente porque vocês não sabiam do poder de sua própria  mente-corpo, de sua imaginação como criador e suas emoções como seu indicador de alinhamento.

Vocês são criadores magníficos, vivos e prósperos imersos na vanguarda da gloriosa expansão do Tudo Que É. E se vocês permitirem que sua alegria natural emirja, se permitirem que ela seja simples, essa bagunça se arrumará por si mesma.

Quando vocês perceberem que seu Espírito, o seu eu não físico mais amplo conectado com a Fonte, tem tudo sob controle, então vocês reconhecerão que todas as outras coisas, essas coisas que estão fora de controle, não têm nada a ver com vocês.

Alguém mais está criando tudo isso.

Existiram poucas épocas mais excitantes do que esta. (O começo foi muito emocionante.)

Todos vocês estão despertando juntos para a percepção de que seu mundo é um sonho e que vocês são os sonhadores. E agora que sabem, vocês podem escolher estar despertos dentro desse sonho. E quando vocês estão despertos dentro do sonho, vocês descobrem que vocês dirigem todos os elementos do sonho. Vocês se relacionam com todos os elementos dentro do sonho. É assim com o seu mundo natural.

Despertem e permitam, relaxem e aproveitem.

(Twelve Insight, por Gillian Grannum, em 12 de agosto de 2012)

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A Consciência Reina?

Se mudarmos nossas idéias sobre quem somos - e nos enxergarmos como seres criativos, eternos, criando a experiência física, unidos naquele nível da existência que chamamos de consciência - então começaremos a ver e criar de forma muito diferente esse mundo em que vivemos.
(Ed Mitchell)

Na verdade, a maioria das tradições espirituais afirma que a consciência não é "um" componente fundamental; ela é "o" componente fundamental. Todas as coisas brotam de um reservatório subjacente de consciência.
O doutor Hagelin está convencido de ser esse o caso:
A primeira de todas as experiências, poderíamos dizer, o princípio do universo, é quando a consciência pura, o campo unificado que vê a si mesmo, cria dentro de sua natureza essencialmente unificada a estrutura ternária composta de observador, observado e processo de observação. É daí, do nível mais profundo da realidade, que a consciência cria a criação, de modo que existe um relacionamento íntimo entre o observador e o observado. Eles estão essencialmente unidos como um todo inseparável na base da criação, que é o campo unificado e também nossa própria consciência mais profunda, o ser.
E com todas as definições e perguntas sobre a consciência ainda sem resposta, como o doutor Hagelin, Teresa d'Ávila, Jesus Cristo, Lao Tse, Eckhart Tolle, os sábios do Vedanta, chegaram a ter clareza sobre esse assunto? Usando a consciência para investigar a consciência. Tal como os cientistas da física utilizam instrumentos físicos de medição, os exploradores da consciência usam esse veículo para descobrir essa realidade. Vocês se lembram da narrativa de Ed Mitchell sobre seu momento de consciência cósmica? Parece ser uma experiência comum a todos os que passaram por ela - as fronteiras do ser se dissolve para revelar que o ser é tudo, em toda parte, o tempo todo. O que sugere não apenas que a consciência não é criada pelo cérebro, mas que o cérebro limita a consciência.

(Do livro Quem Somos Nós?)

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A Física Quântica e a Reconstrução do Mundo

Do livro Quem Somos Nós? :
Até que ponto o observador afeta o observado?
Fred Alan Wolf diz: Você não está mudando a realidade exterior. Nem alterando as cadeiras e os caminhões, os tratores e os mísseis que estão sendo lançados - você não está mudando essas coisas! Não! Mas você está mudando a forma como percebe as coisas, ou talvez a forma como pensa sobre elas, como percebe o mundo.
Mas por que não estamos alterando caminhões, tratores e a destruição ecológica? De acordo com o doutor Joe Dispenza: "Porque perdemos o poder de observação." Ele acredita em manter a mensagem da física quântica bem simples: a observação tem um efeito direto sobre o mundo do observador. Isso motivará as pessoas a manter o foco em se tornarem observadores melhores. Ele prossegue:
O mundo subatômico responde à nossa observação, mas em geral perdemos a capacidade de atenção a cada seis a dez segundos (...). Portanto, como coisas muito grandes poderão responder a quem não tem nem mesmo a capacidade de focalizar e se concentrar? Talvez sejamos apenas maus observadores. Talvez não tenhamos dominado a habilidade de observação (...). Devíamos estar dispostos a reservar uma parte do dia para observar, com pura sinceridade, como construir um novo futuro possível para nós mesmos. Se fizermos isso, se observarmos corretamente, começaremos a ver oportunidades surgindo em nossas vidas. (Grifo nosso)

domingo, 10 de junho de 2012

Cristo, Vedas e Quântica

Encontrei no boletim do STUM - Somos Todos Um (http://somostodosum.ig.com.br/) este fantástico trecho do livro As Cartas de Cristo (www.cartasdecristobrasil.com.br), cujo conteúdo ecoa com os ensinamentos védicos ancestrais e com as mais recentes descobertas da Física Quântica. Eis o texto:


"Como revelei na Carta 1, durante o tempo em que recebi plena iluminação no deserto me foi mostrado que a matéria não era realmente sólida. Não me foi dado entender exatamente como as partículas elétricas, que chamei de ‘cintilar de partículas’, tomavam a aparência de matéria visível. Eu sabia simplesmente que estas ‘partículas’ se moviam em altas frequências de velocidade no interior da ‘MENTE DE DEUS’, e que a ‘MENTE DE DEUS’ era universal. Eu percebi que a ‘MENTE DE DEUS’ era tanto o criador - como a substância - de todas as coisas na Criação em si. Disso, eu estava absolutamente seguroTambém ‘vi’ muito claramente que o pensamento humano, quando carregado de convicção ou emoção, afetava radicalmente esse processo de materialização de formas visíveis. Portanto, a mente humana podia interferir - e de fato fazia isso - na verdadeira intenção da ‘MENTE DE DEUS’. Esta foi uma compreensão emocionante e entusiasmante, pois percebi que os mitos que os rabinos Judeus me ensinaram eram claramente falsos, e imediatamente os eliminei de minha mente. Abracei a verdade com entusiasmo, pois compreendi porque as pessoas experimentavam a miséria e o sofrimento. Isso emanava de seus próprios processos de pensamento". 

Estas declarações não deixam dúvida. A "mente de Deus" é, ao mesmo tempo, o Criador e a Criação. Nós somos todos co-criadores universais. Nosso pensamento tem o poder de interferir na "mente de Deus", porque nós somos partículas da "mente de Deus". Não há nada fora da "mente de Deus". Aham Brahma Asmi (eu sou Brahma).

segunda-feira, 4 de junho de 2012

A Memória Está no Cérebro?

"Atualmente há cientistas analisando a proposição de que as lembranças não estão realmente armazenadas no cérebro. Descobriu-se que se for removida uma parte do cérebro onde parecia estar localizada uma lembrança, ela ainda pode persistir! Onde ela está armazenada? Talvez em algum lugar na escala de Planck, ou no que algumas pessoas chamariam de 'registros akáshicos'. O cérebro pode ser apenas um instrumento para buscar essas lembranças dentro do universo. Ele pode ser o armazenamento local, o disco local em relação ao disco rígido cósmico onde todas as lembranças estão armazenadas." (Do livro Quem Somos Nós?)
E o que seriam os tais "registros akáshicos"?
Akasha é uma palavra em sânscrito cujo significado é "céu", "espaço" ou "éter". Segundo o ensinamento védico ancestral, o akasha é o arquivo cósmico, o conjunto de conhecimentos armazenados, englobando tudo o que ocorreu, ocorreu ou ocorrerá no universo. Uma espécie de biblioteca cósmica, todo-abrangente. Por isso ele é considerado o mais elevado dos cinco elementos, o mais poderoso, a base de todas as coisas da criação.
O Akasha está além do espaço e do tempo. O não-criado: incompreensível e indefinível. 
É o Akasha que mantém o equilíbrio do cosmos. É lá a fonte de todos os pensamentos e idéias.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Sobre o Universo


"Brahmavith Brahmaiva Bhavathi: Aquele que percebe Brahman torna-se, na verdade, o próprio Brahman. Esse estado de consciência do Divino em si mesmo é a consciência da Realidade.”  

(Sri Sathya Sai Baba, Mestre Quântico e Guru)
Somos o que contemplamos. Sobretudo, somos o que contemplamos em nossa mente. O grande, esperado e propalado "salto quântico" virá quando mais e mais pessoas perceberem o poder que têm dentro de si. Este poder tem sido desprezado simplesmente porque somos condicionados a não acreditar nele. Este condicionamento é o que nos prende, tornando-nos frágeis, vulneráveis e facilmente manipuláveis pelas correntes dominantes de poder.
Somos co-criadores de tudo. Somos responsáveis pelo que ocorre no mundo. Mas ainda dormimos e transferimos essa responsabilidade para outros.
Reproduzo aqui este texto que recebi, para reflexão:

Existe uma verdade muito importante  que você precisa aceitar se quer desenvolver-se no caminho da prosperidade. Você precisa descartar a idéia de que o universo físico é sem sentido, cruel, uma máquina que funciona ao acaso e que a consciência humana é um acidente químico dentro dessa máquina. Na verdade, o contrário  é precisamente a verdade.
O universo é uma energia inteligente, consciente e viva, que se manifesta em todas as realidades físicas. O pensamento, a emoção, a consciência e a vida formam a verdadeira substância do nosso universo.
Considerando que fomos levados  a acreditar que a consciência é uma ilusão da nossa neurologia, a verdadeira ilusão é achar que um universo tão magnífico possa ser acidentalmente formado.
Existem incontáveis descobertas científicas do século passado que apontam para esta verdade, mas só temos espaço para um entendimento vital. A descoberta mais surpreendente  da ciência moderna  é que não existe substância material no universo.
Os prótons, os elétrons, os quarks  e todas as partículas “fundamentais” que a ciência descobriu, todas são manifestações da energia e informação. Tudo no Universo  é um produto desta energia em permanente  movimento e mudança.
Tudo que experimentamos fisicamente  é apenas uma interpretação  dos nossos sentidos físicos desta energia.  Portanto, no sentido mais prático e físico,  tudo que você experimenta é o resultado da sua interpretação mental  da energia do universo.
Esta compreensão clara da natureza das coisas é o primeiro passo  para a verdadeira liberdade  e o poder pessoal. Se você acredita que o universo é um lugar violento, sem sentido, fortuito,  então sua experiência assim o será.
Se, por outro lado, você acredita que sua mente  controla a substância da sua experiência, e que o universo está preparado para preencher as suas necessidades, então você irá ter experiências que confirmam esta verdade.
(Claudia Giovanni)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Conversação

Deus e eu a sós no espaço...
ninguém mais à vista...
"E onde estão todas as pessoas, meu Senhor", disse eu,
"a Terra sob nós e o Céu acima 
e os mortos de minha lista?"
"Foi um sonho", Deus sorriu. E disse:
"O sonho que parecia ser real;
não havia pessoas vivas ou mortas;
não havia Terra, e nem o Céu acima,
havia apenas eu em você".
"Por que não sinto medo?", perguntei,
"encontrando-o aqui neste momento?
Pois pequei, sei disso muito bem,
e existe céu, e inferno também,
e será este o Dia do Julgamento?"
"Não, eram apenas sonhos", disse o Grande Deus,
"sonhos que não existem mais.
Não existe isso de medo e pecado;
não existe você... nunca houve você no passado.
Nada existe, senão eu".


(Ellen Wheeler Wilcox. Extraído do livro A Física da Alma, de Amit Goswami)

terça-feira, 15 de maio de 2012

Somente a Unidade Existe

"A tradição védica se fundamenta na premissa da unidade suprema da vida e na capacidade do cérebro humano - um instrumento muito precioso do universo - de experimentar diretamente essa unidade essencial e vivê-la. E se examinarmos em detalhes a estrutura do cérebro humano, veremos que ele foi específica e cuidadosamente construído para experimentar o campo unificado, para experimentar a unidade da vida." (John Hagelin, Ph.D.)


Pincei este elucidativo texto do livro "A Física da Alma", de Amit Goswami:


"Nos Upanishads, há uma descrição dos cinco corpos do ser humano. O mais grosseiro é o físico, renovado constantemente por moléculas de alimentos e, por isso, chamado em sânscrito de annamaya (feito de anna, comida). O próximo corpo sutil é chamado de pranamaya (feito de energia vital, prana); refere-se ao corpo vital associado aos movimentos da vida, expressados como reprodução, manutenção etc. O próximo corpo, ainda mais sutil, é manomaya (feito de mana, substância mental), ou seja, o corpo do movimento da mente, do pensamento, discutido anteriormente. O seguinte, chamado de vijnanamaya (feito de vijnana, inteligência), é o intelecto supramental ou corpo de temas, o repositório dos contextos de todos os três corpos 'inferiores'. Finalmente, o corpo anandamaya (feito de ananda, não substancial, a alegria espiritual ou sublime), corresponde a Brahman - a base de toda a existência, a consciência em sua qualidade última."


Os ioguis e os mestres autorrealizados, através de técnicas de meditação, relatam o mesmo tipo de experiência ao conseguir transcender os corpos menos sutis da consciência. Todos são unânimes em descrever um estado de bem-aventurança (ananda), no qual percebem a si próprios mergulhados num único oceano de paz, inteiramente e incontestavelmente ligados a tudo e a todos.


Yata Brahmande Tata Pindade: todo o sistema védico se baseia nesta premissa fundamental, que significa: "Assim como é no Universo, assim é também no Ser", revelando, desde os primórdios da história da humanidade, a lei sagrada da unidade de tudo e de todos e a interrelação de todos os mundos existentes.
Mas por que não percebemos a chamada "unidade na diversidade"?


Em primeiro lugar, porque estamos todos voltados para fora. Sempre olhando e analisando os fenômenos externos, nunca o nosso interior. Com o amadurecimento da consciência, surge a necessidade de mudança de foco. É um processo que pode ser acelerado com disciplina e aprofundamento (meditação), segundo as escrituras. 


A dualidade da matéria não é uma realidade, embora a vejamos como tal - é uma ilusão. Uma grande ilusão, porque partilhada por muitos - a maioria. A partir do momento em que a consciência apreende o universo físico, passa a participar da unidade e a viver em unidade. A Mundaka Upanishad, I:1,3, diz que a consciência (atma), é "aquilo através do qual o universo inteiro pode conhecer-se". Esta definição explica a afirmação da Brihadaranyaka Upanishad, I:4,10: Aham Brahma Asmi, (eu sou Brahma). 


Alfredo Puig Figueiroa, ex-presidente da Sociedade Teosófica do Brasil, é autor do seguinte texto:
"Um simples estudo superficial dos Vedas pode mostrar-nos a unidade subjacente a esta multiplicidade de nomes desses Deuses e o que representa cada um; mas quem puder ler nas entrelinhas dos textos védicos irá compreendê-los como atributos diferentes do mesmo Ser Supremo. Talvez em nenhum outro lugar seja possível encontrar a idéia da unidade na multiplicidade com uma expressão mais eloqüente do que nas passagens dos diversos Vedas que foram aqui mencionados. Como exemplo, citamos o Rig Veda 1. 64.46, que diz: 'A verdade é uma só, os sábios a designam por vários nomes'.(...) A utilização dessas preces ou orações [védicas] é como um procedimento definido para enviar correntes de pensamentos nobres e elevados para todos os planos de existência nos Universos, os quais incluem desde os Deuses e os homens, até as aves e bestas, ervas e árvores; essas preces se destacam pela amplidão da fraseologia e seu caráter onisciente."
Sri Sathya Sai Baba, Mestre Védico
"Uma vez que você atinge a autorrealização, você reconhece todo o mundo como um simples reflexo de si mesmo", diz o mestre védico Sathya Sai Baba.


A descoberta da teia cósmica que permeia todo o universo é uma prova de que os Vedas não tratavam de ficção, mas de uma realidade intrínseca universal, acessível a todos aqueles que se lançavam no aprofundamento da consciência, rompendo os involtórios dos corpos mais densos até chegar à essência de tudo, Brahman, Deus, o Incognoscível, o Absoluto.


Estamos agora num momento em que todas estas verdades, novas e ancestrais, devem se revelar, mesclando-se aos nossos olhos, parecendo, de início, um quebra-cabeças complexo, mas que, na verdade, é de uma solução tão óbvia que nem percebemos, numa primeira vista.


Mergulhar em si mesmo, sair desse mundo repleto de falsos paradigmas, buscar a essência é o que todos estamos necessitando para nos sentirmos em unidade. Além das teorizações, muito além do olho físico que vê superficialmente, reina o mundo do impenetrável silêncio, onde todas as almas se encontrarão e serão uma.


Paramahansa Yogananda
O poema do grande mestre iogue Yogananda não é um delírio, é a visão de um homem que vislumbrou o que todos veremos um dia. Mergulhemos nessa fonte: 


SAMADHI (*)

Levantados os véus de luz e sombra,
evaporada toda a bruma de tristeza,
singrado para longe todo o amanhecer de alegria transitória,
desvanecida a turva miragem dos sentidos.

Amor, ódio, saúde, doença, vida, morte:
extinguiram-se estas sombras falsas na tela da dualidade.

A tempestade de maya serenou
com a varinha mágica da intuição profunda.

Presente, passado, futuro, já não existem para mim,
somente o Eu sempiterno, onifluente, Eu, em toda parte.

Planetas, estrelas, poeira de constelações, terra,
erupções vulcânicas de cataclismos do juízo final,
a fornalha modeladora da criação,
geleiras de silenciosos raios X, dilúvios de elétrons ardentes,
pensamentos de todos os homens, pretéritos, presentes, futuros,
toda folhinha de grama, eu mesmo, a humanidade,
cada partícula da poeira universal,
raiva, ambição, bem, mal, salvação, luxúria,
tudo assimilei, tudo transmutei
no vasto oceano de sangue de meu próprio Ser indiviso.

Júbilo em brasa, freqüentemente abanado pela meditação,
cegando meus olhos marejados,
explodiu em labaredas imortais de bem-aventurança,
consumiu minhas lágrimas, meus limites, meu todo.

Tu és Eu, Eu sou Tu,
o Conhecer, o Conhecedor, o Conhecido, unificados!

Palpitação tranqüila, ininterrupta, paz sempre nova,
eternamente viva.

Deleite transcendente a todas as expectativas da imaginação,
beatitude do samadhi!

Nem estado inconsciente,
nem clorofórmio mental sem regresso voluntário,
Samadhi amplia meu reino consciente
para além dos limites de minha moldura mortal
até a mais longínqua fronteira da eternidade,
onde Eu, o Mar Cósmico,
observo o pequeno ego flutuando em Mim.

Ouvem-se, dos átomos, murmúrios móveis;
a terra escura, montanhas, vales são líquidos em fusão!

Mares fluidos convertem-se em vapores de nebulosas!

OM sopra sobre os vapores, descortinando prodígios.

Mais além,
oceanos desdobram-se revelados, elétrons cintilantes,
até que ao último som do tambor cósmico,
transfundem-se as luzes mais densas em raios eternos
de bem-aventurança que em tudo se infiltra.

Da alegria eu vim, para a alegria eu vivo, na sagrada alegria,
dissolvo-me.

Oceano da mente; bebo todas as ondas da criação.

Os quatro véus do sólido, líquido, gasoso, e luminoso,
levantados.

Eu, em tudo, penetro no Grande Eu.

Extintas para sempre as vacilantes, tremeluzentes sombras
das lembranças mortais:
imaculado é meu céu mental – abaixo, à frente e bem acima;
eternidade e Eu, um só raio unido.

Pequenina bolha de riso, eu,
converti-me no próprio Mar da Alegria.

(Paramahansa Yogananda)

(*) Samadhi: termo sânscrito que significa: estado uno de consciência, autorrealização; meditação profunda, êxtase; união com Deus.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

"O universo físico é essencialmente não-físico e pode se originar de um campo ainda mais sutil que a própria energia, mais semelhante à informação, à inteligência ou à consciência, do que à matéria." 


("Quem Somos Nós?")

segunda-feira, 16 de abril de 2012

A Chave Está no Passado

A Visão de Gregg Braden


Escritor e conferencista internacional, autor de vários best-sellers (O Efeito Isaías, O Código de Deus, A Matriz Divina, Hora Fractal, O Segredo de 2012 e Uma Idade do Novo Mundo), Gregg Braden é reconhecido no mundo como um pioneiro na ponte ciência e espiritualidade. Após uma carreira bem sucedida de designer de sistemas de informática, Braden passou 20 anos pesquisando remotas aldeias montanhosas, mosteiros e templos e textos esquecidos, em busca de segredos eternos. A sua busca conduziu-o a descobertas fascinantes e controversas. Hoje, seu trabalho é reconhecido e divulgado no History Channel, no Discovery Channel, na NBC, entre outros. Seus livros atualmente são traduzidos em 17 idiomas e 33 países. E todo o discurso de Gregg Braden é que a chave para o nosso futuro está justamente na sabedoria do nosso passado.
O texto a seguir foi extraído do livro “Awakenning to Zero Point” e transformado em pps por: azullmarinho@yahoo.grupos.com.br. A pesar de longo longo, merece ser lido até o final:

Você sabe que hoje a ciência já provou através da física quântica que somos energia e que estamos todos conectados através de nossa vibração?
Deus é puro amor, é energia e por ser energia, não morre, não desaparece, é imortal e está em todos os lugares.
E como somos a imagem e semelhança de Deus, sabemos que somos energia e hoje podemos provar isso.  Somos seres espirituais e não seres feitos de matéria.

Durante muito tempo achava-se que a menor partícula de uma célula, o átomo, era feito de matéria. Depois descobriram que na verdade a maior parte de um átomo é vácuo, então achava-se que o núcleo que é muito pequeno seria material. Esta idéia caiu por terra quando através do uso de microscópios eletrônicos muito potentes verificou-se que o núcleo de um átomo é apenas uma energia condensada, não é matéria.
Mas se tudo o que existe no mundo “material” é feito de um conjunto de células, estas são feitas de átomos e se um átomo de qualquer coisa não é material, então...
No nível microscópio, nada é material, tudo é vibração, tudo é feito de energia condensada. Vivemos num universo de vibração e nossos corpos são feitos a partir da vibração da energia que emanamos constantemente.


O que você pensa sobre o seu corpo e a sua saúde???

O Código de IsaíasApesar de pouco conhecido ainda, a descoberta do Grande Código Isaías nas cavernas do Mar Morto, em 1946, revelou as chaves sobre o nosso papel na criação.  Entre estas chaves encontram-se as instruções de um modelo “perdido” de oração, que a ciência quântica moderna sugere que tenha o poder de curar nossos corpos, trazer paz duradoura a nosso mundo e, talvez, prevenir as grandes tragédias que poderia enfrentar a humanidade. 
“Com as palavras de seu tempo, os Essênios nos lembram que toda a oração já foi atendida por Deus.”
Qualquer resultado que possamos imaginar e cada possibilidade que sejamos capazes de conceber, é um aspecto da criação que já foi criado e existe no presente como um estado “adormecido” de possibilidade.
A física quântica já foi apelidada de Física das Possibilidades, por nos dizer que tudo o que imaginamos encontra-se disponível como uma das possibilidades que vamos assimilar em nossas vidas, só devemos “atrair” a que desejamos através do pensamento.  

CRIAR, ATRAIR OU ACESSAR?

A partir desta perspectiva, nossa oração baseada nos sentimentos deixa de ser “algo por obter” e se converte  em “acessar” o resultado  desejado, que já está criado no mundo vibracional (quântico, atômico) das infinitas possibilidades. Ou seja, nada é impossível, quando temos um desejo sincero, este desejo torna-se parte das nossas possibilidades futuras no nível quântico e só precisamos sintonizá-lo.

Então já sabemos que a ciência atual consegue provar através da teoria quântica que pensamento é energia, que toda energia tem uma vibração e que a vibração cria o mundo material, nossos corpos e todo o restante ao nosso redor foi e continua sendo criado através das nossas mentes coletivas.
Também sabemos que a luz é uma fonte de energia, então...

A que estão conectadas as partículas de luz? Gregg Braden diz que estamos sendo levados a aceitar a possibilidade de que existe um NOVO campo de energia e que o DNA está se comunicando com os fótons por meio deste campo.

EXPERIMENTO   1
Neste experimento foi recolhida uma amostra de leucócitos (glóbulos brancos) de vários doadores.
Estas amostras foram colocadas em uma sala com um equipamento de medição das alterações elétricas.
Neste experimento o doador era colocado em outra sala e submetido a "estímulos emocionais“  provocados por vídeos que lhe causavam emoções.
O DNA era colocado em um lugar diferente do doador, mas no mesmo prédio.

O doador e seu DNA eram monitorados e quando o doador mostrava alterações emocionais (medidas em ondas elétricas), o DNA visualizado através de microscópios MUITO potentes expressava RESPOSTAS IDÊNTICAS E SIMULTÂNEAS. 
Os altos e baixos do DNA COINCIDIRAM EXATAMENTE com os altos e baixos do doador.
O objetivo era saber a que distância  poderiam estar separados o doador do seu DNA para que o efeito continuasse a ser observado. Pararam de fazer provas quando chegaram a uma distância de mais de 80 quilômetros entre o DNA e seu doador,  e continuaram obtendo o MESMO resultado. Sem diferença e sem atraso de transmissãoO DNA e o doador tiveram as mesmas respostas ao mesmo tempo.
Mas o que isto significa?
Gregg Braden diz que isto significa que as células vivas se reconhecem através de uma forma de energia não reconhecida com antecipação.
Esta energia não é afetada nem pela distância nem pelo tempo.
Não é uma forma de energia localizada, mas uma energia que existe em todas as partes e todo o tempo.

EXPERIMENTO  2

Outro experimento foi realizado pelo Instituto Heart Math e  nele se observou o DNA da placenta humana (a forma mais antiga do DNA) que foi colocado em um recipiente, onde  podiam ser medidas as suas alterações. Foram distribuídas 28 amostras em tubos de ensaio para um mesmo número de investigadores previamente treinados.
Cada investigador foi treinado para gerar e EMITIR sentimentos, e cada um podia ter fortes emoções. O que se descobriu foi que o DNA mudou de forma de acordo com os sentimentos dos investigadores.

1. Quando os investigadores sentiram gratidão, amor e estima, o DNA respondeu RELAXANDO e seus filamentos se estirando. O DNA ficou mais longo.
Quando os investigadores SENTIRAM raiva, medo ou stress, o DNA respondeu SE ENCOLHENDO. Tornou-se mais curto e muitos códigos se APAGARAM.
Alguma vez você já se sentiu "carregado" por emoções negativas? Agora sabemos porque nossos corpos também se afetam.
Os códigos do DNA se conectaram de novo quando os investigadores tiveram sentimentos de amor, alegria, gratidão, harmonia e estima e em muitos casos houve a cura física de doenças.
Estas alterações emocionais provaram que  eram capazes de ir além dos efeitos eletromagnéticos.
Os indivíduos treinados para sentir amor profundo, foram capazes de modificar a forma de seu DNA.
Gregg Braden disse que isto ilustra uma nova forma de energia, que conecta toda a criação. Esta energia parece ser uma REDE TECIDA de forma AJUSTADA, e que conecta toda a matéria. Essencialmente podemos influenciar essa rede de criação por meio da nossa VIBRAÇÃO.

Há mais de cinqüenta anos, em 1947, o Dr. Hans Jenny desenvolveu uma nova ciência para investigar a relação entre a vibração e a forma.' Mediante seus estudos, o Dr. Jenny demonstrou que a vibração produzia até geometria.
O dr. Jenny produziu uma surpreendente variedade de desenhos geométricos, desde alguns muito complexos até outros bastante simples, em materiais como água, azeite, grafite e enxofre em pó. Cada desenho era simplesmente a forma visível de uma força invisível.
A importância destas experiências é que, com elas, o Dr. Jenny provou, sem espaço para dúvidas, que a vibração cria uma forma previsível na substância onde é projetada. Pensamento, sentimento e emoção são vibrações que criam um transtorno sobre a matéria em que são projetados, por esta razão precisamos tomar cuidado com o que pensamos e sentimos.
Muitas pessoas se exercitam, vão à academia, bebem muita água, comem alimentos saudáveis, mas vivem com raiva ou pessimismo, assistem sempre aos noticiários negativos, adoram filmes de guerra, drama e violência, conversam sobre doenças, crise financeira, guerras, estas pessoas geralmente não entendem por que ficam doentes e deprimidas...
O alimento que ingerimos é importante, mas as emoções são o alimento da alma e este alimento (as emoções) influenciam a nossa saúde e o nosso destino completamente.

Que tal ser amigo da sua alma?
Veja coisas engraçadas, divertidas, alegres, bonitas, românticas, interessantes, instrutivas, espiritualistas, otimistas...
Deixe o noticiário de lado, as conversas negativas, os livros e filmes violentos e tristes, pois o que isso agrega de qualidade positiva em sua vida? NADA!!!!  Negativamente: TUDO!!!
Seja mais feliz, ame-se e cuide com o alimento da sua alma...
A chave para obter um resultado entre os muitos possíveis (assimilar uma das infinitas possibilidades que nos cercam) reside em nossa habilidade para escolher nossas emoções e sentir que nossa escolha já está acontecendo. Vendo a  oração deste modo, como «sentimento», nos leva a encontrar a qualidade do pensamento e da emoção que produz esse sentimento: viver como se o fruto de nossa prece já estivesse a caminho.
Se Pensamento, Sentimento e Emoção não estão alinhados não há União.
Portanto:
Se cada padrão se move em uma direção diferente o resultado é uma dispersão da energia e o resultado da sua oração não é “recebido” por você.
Se, por outro lado, os padrões de nossa oração se centram na união, como pode o «material» da criação não responder a nossa prece?
«...Qualquer um que diga a esta montanha:
sai daí e joga-te no mar, não vacilando em seu coração, mas acreditando que acontecerá, assim será!!!»  (Marcos 11,23).
A chave para que a oração seja eficaz é a união do pensamento, do sentimento e da emoção.

Com que rapidez isso ocorre?

Diz Gregg Braden que alguns de "nossos cientistas" estão observando  que o magnetismo da Terra está diminuindo drástica e rapidamente. Inclusive já especularam em segredo sobre uma possível alteração nos pólos magnéticos do planeta, prevista justamente para o ano em que termina o calendário maia, e as profecias hope assinalam como o princípio de um novo começo: 2012. A tão famosa era de Aquário.
Diz que quanto maior o magnetismo, maior é o tempo para a manifestação no nosso mundo o que pensamos e sentimos.
Por conseguinte, quanto menor o magnetismo, menor será o tempo para nos encontrarmos com a manifestação de nossos desejos, então levará menos tempo para nossos desejo se manifestarem.
Isto pode ser algo maravilhoso, não?
Ou... Menos tempo para a manifestação de nossos medos, caso mantenhamos pensamentos negativos. Tudo depende de você.  O que você mais pensa?

Conclusão

Vimos que geneticamente nosso DNA muda com as freqüências que produzem nossos sentimentos, e como é que as freqüências energéticas mais altas, que são as do Amor, impactam no ambiente, de uma forma material, produzindo transformações não só em nosso DNA, mas no ambiente que nos cerca. 
Ou seja, você possui muito mais poder do que imaginava...

Quanto mais Amor deixarmos fluir por nossos corpos, mais adaptados estaremos para enfrentar o que possa acontecer em em nossas vidas.
E podemos conduzir TODO o nosso planeta, mediante nossos pensamentos positivos em conjunto, para o melhor futuro possível.

quinta-feira, 29 de março de 2012

A Música é Quântica

O velho ditado popular "quem canta, seus males espanta" tem sua confirmação agora pela ciência.
Recentemente, cientistas da Finlândia descobriram uma nova técnica que permite observar o processamento do cérebro de uma pessoa enquanto ela ouve música. De acordo com a pesquisa, o cérebro se ilumina por inteiro, "um fenômeno até agora sem equivalente em termos de atividade humana" - diz a reportagem.
O estudo revela, pela primeira vez, a sensibilidade do cérebro ao estímulo musical, como se a música, com sua varinha-de-condão invisível, fosse ativando grandes áreas, a exemplo das redes neurais responsáveis pelas ações motoras, emoções e criatividade.
Estas descobertas não nos surpreendem. Por que os grandes mestres nos exortam a recitar os mantras sonoros contidos nas escrituras védicas?
Sathya Sai Baba, o maior Mestre Quântico dos últimos tempos, estimulava seus devotos o tempo inteiro com cânticos ecumênicos, adotando em seu ashram (comunidade espiritual) a prática do canto duas vezes ao dia, pela manhã e à tarde. Ele afirmava: "A música é um dos principais canais para a evolução do homem". 
Dizem os Vedas que Brahma (o princípio criador universal do hinduísmo) criou o universo ao som do sagrado mantra OM, o rei de todos os mantras, cuja reverberação continua se perpetuando pelos tempos, embora nossos ouvidos físicos não escutem. A partir do OM - o som pioneiro - todos os outros sons foram criados. O OM não seria uma mera palavra, ele é uma música cujo poder ainda desconhecemos por inteiro.
E Shiva (o princípio transformador), com sua eterna dança, a transmutar a matéria, que obedece ao comando do compasso dos seus tambores e seus movimentos rítmicos? 
O som cria, o som destrói. Quantas vezes uma boa música não foi capaz de elevar um estado de espírito sombrio? E - ao contrário - quantas vezes uma determinada música não nos trouxe sentimentos negativos?
Já li não me lembro onde que a Nona Sinfonia de Beethoven tem o poder de evocar sentimentos nobres, elevados. Isto é quântico. A boa música é quântica por natureza, porque nossas células são permeáveis a ela. Saber que nosso cérebro se ilumina por inteiro ao ouvirmos música é um dado a mais para nos conscientizarmos do poder criativo do som.
Que música queremos ouvir para acender nossa luz? A escolha é nossa. No universo quântico, tudo são apenas possibilidades. 

quinta-feira, 22 de março de 2012

Shiva - Compreensão Quântica do Arquétipo

“Assim, ‘vi’ cascatas de energia cósmica, provenientes de espaço exterior, cascatas nas quais, em pulsações rítmicas, partículas eram criadas e destruídas . ‘Vi’ os átomos dos elementos—bem como aqueles pertencentes a meu próprio corpo—participarem desta dança cósmica de energia. Senti o seu ritmo e ‘ouvi’ o seu som. Nesse momento, compreendi que se tratava da Dança de Shiva, o Deus dos dançarinos, amado pelos yogues e hindus." 


(Texto de Fritjof Capra no livro O Tao da Física) 


Segundo os ensinamentos tradicionais védicos, há uma trindade dévica indivisível – Brahma, Vishnu e Shiva. Estes são os deuses-ícones que ‘gerem’ o universo manifestado. Dentro dessa trindade-una (se é que podemos chamá-la assim), cada um tem seu papel, mas o papel de um é o papel de todos, porque todas as tarefas estão intrinsecamente ligadas. Assim, temos Brahma, que encarna o poder universal de criar os mundos; Vishnu é o poder que representa a manutenção e preservação daquilo que foi criado; e Shiva é o poder que transforma a criação, destruindo o que está velho, decadente, estagnado, para que o novo possa ressurgir.
Shiva é também conhecido como Nataraja, o eterno dançarino cósmico, aquele que, com sua dança, faz vibrar a matéria inerte, vivificando-a. É o arquétipo diante do qual "nada será como antes", é o símbolo presente em nosso inconsciente cuja capacidade de transformação não tem limites.

Segundo o hinduísmo, o cosmos é o grande cenário onde Shiva exerce seu processo rítmico de criação/destruição, vibração/repouso, morte/renascimento. Sob a influência mágica das ondas vibratórias criadas pela sua equilibrada e harmoniosa dança, a matéria responde de imediato, dançando também. 


Shiva-Nataraja é representado como uma figura de quatro braços, num movimento de dança que expressa o ritmo e a unidade da Vida. Ele segura um tambor na mão direita, simbolizando o som primordial da criação. Na outra mão ele ostenta uma língua de fogo, o elemento da destruição. O equilíbrio da postura e das mãos simboliza o equilíbrio dinâmico que deve haver entre criação e destruição. A face plácida do dançarino demonstra imparcialidade e transcendência da polaridade, ou seja: os dois aspectos relativos à criação e à destruição não devem ser vistos como "positivos" ou "negativos" e, como tal, exaltados ou temidos - são processos naturais no desenrolar do plano cósmico. Uma das mãos erguida, num gesto de proteção, significa justamente: "Não temas". A mão esquerda apontada para o pé erguido simboliza a libertação do fascínio exercido por maya. O demônio que aparece em algumas representações aos pés de Shiva simboliza a ignorância humana, que deve ser destruída e superada.

A Física Quântica, ao pesquisar as interações entre os componentes da matéria, descobriu que cada partícula subatômica realiza essa misteriosa dança, num interminável processo de criar – destruir – recriar.
Afirma Fritjof Capra: "As idéias de ritmo e de dança vem-nos naturalmente à memória quando procuramos imaginar o fluxo de energia que percorre os padrões que constituem o mundo das partículas. A física moderna mostrou-nos que o movimento e o ritmo são propriedades essenciais da matéria e que toda matéria, quer aqui na terra, quer no espaço sideral, está envolvida numa contínua dança cósmica. Os místicos orientais têm uma visão dinâmica do universo, semelhante à da física moderna; consequentemente, não é de surpreender que também eles tenham usado a imagem da dança para comunicar a intuição que tinham da natureza."


É de autoria de Ananda Coomaswamy (notável filósofo e historiador indiano) a seguinte pérola: 


“Na noite de Brahman, a Natureza acha-se inerte e não pode dançar até que Shiva o determine: Ele se ergue de Seu êxtase e, dançando , envia através da matéria inerte ondas vibratórias do som que desperta e, vede!, a matéria também dança, aparecendo como uma glória que o circunda. Dançando, ele sustenta seus fenômenos multiformes. Na plenitude do tempo, dançando ainda, Ele destrói todas as formas e nomes pelo fogo e lhes concede novo repouso. Isso é poesia e,contudo, também é ciência.”

Difícil não se encantar com estas palavras. Bela comunhão entre poesia e ciência, espiritualidade e física.